quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Sagrada Auto Peregrinação


Um super vento ondula e remexe com as águas de Creta


Uma mulher em pé na margem de suas águas


Um olhar firme e profundo


O vento a segura para que não caia nas águas


Essas, a todo custo pulam para tocá-la


Ela está entregue, seu destino é estar aqui


Em volta disso os pássaros pisam e cantam com suavidade


Os namorados trocam íntimas sensações


Alguém nasce e alguém morre


Ela permanence absorta a esses acontecimentos


Seu diálogo é com o mar, com o vento e com ela mesma


E dessa intensa linguagem


Só eles entendem.

Um comentário:

  1. Querida,

    Teus escritos tem diálogo com o latejo do vento, adorei.

    Beijos

    ResponderExcluir